actor

Quando dirigi meu primeiro curta metragem em 1990
história de las gravatas 

a intenção foi de fazer um filme 'teatral'
convidamos atores a trabalhar nos ensaios
com exercícios de 'preparação corporal' porque
o objetivo era buscar gestos e movimentos expressivos, diferentes do cotidiano.
A narrativa da 'História de las Gravatas' 
assim iria se transformar em um conto de fadas,
com a 'energia' e qualidade de sonho, conjugando ícones e símbolos em uma narrativa visual.
Alguns movimentos funcionaram, outros não... e fiquei intrigado:
o que faz um gesto ser 'expressivo' ? 'dramático' ? 
o que faz um gesto ser engraçado ? cômico ?

Se você convidar vários atores e atrizes e lhes pedir 'façam a entrada na cena de forma 'triste'... 
Cada ator e cada atriz vai fazer a cena de modo diferente, porque a palavra 'triste' é um tanto 'abstrata' ou talvez melhor dizendo, 'com muitas interpretações possíveis'.
Se você voltar e chamar os atores e lhes pedir
'entrem com a cabeça para baixo, com passos pequenos e distâncias diferentes variando o ritmo mas mantendo a velocidade lenta';
vai ser muito mais fácil que todos se comportem de modo mais próximo ao que um espectador interprete como  ' o personagem entrou triste'. 

Assim que não é suficiente ter os 'nomes' de gestos para que a cena seja expressiva. Para que o espectador entenda o que acontece e se emocione é preciso que o ator atriz disponham de um vocabulário de gestos e que o diretor saiba escolher qual usar em qual momento de qual cena.  

O roteiro é o lugar onde se planeja o filme.  A preparação para filmagem das cenas, além de escolhas de lugar, iluminação e de sequencia, também deve oferecer um catálogo de gestos que sejam bons para expressar, para mostrar o que o personagem está sentindo;  e assim facilitar a performance do ator sugerindo ações e comportamentos da narrativa visual do filme. 
Como espectadores ficamos 'lendo' o que acontece
para 'entender' o que a história conta.

Nos anos 90 comecei a estudar técnicas para o ator
e me vi um pouco surpreso com a variedade de pontos de vista.  
Várias propostas são contrárias e não funcionam se colocadas na mesma peça. 
Então senti falta de um termo de referência para atores e atrizes com o roteiro.

Ao propor documentários para editora de livros, fui apresentado ao livro 'Aventura do Teatro' de Maria Clara Machado publicado pela Editora José Olympio; mestre de teatro infantil brasileiro da melhor qualidade ! e dela ouvi que
""" a coisa mais importante do teatro... é o ator ! ""
Maria Clara Machado

Para produzir um documentário, escrevi pré-roteiro a partir do livro. 
Para que tivesse um elemento didático, para facilitar a aprendizagem (objetivo do livro) acrescentei grupo de atores que visita o Tablado e faz perguntas. Filmei ensaios e a montagem da peça 'O Cavalinho Azul' durante 6 meses em 1990; incluí entrevistas a atores e técnicos do Tablado. 

'Chaves do Teatro' documentário didático
com Maria Clara Machado 30 minutos.
http://vimeo.com/28260831 > parte I
http://vimeo.com/28711086 > parte II

É preciso entender bem o que o Roteiro pede, como a situação dramática é dividida no tempo, quais são os compassos da coreografia gestual, como coordenar a dinâmica emocional, desde a explicação até a revelação...

Atrizes e Atores precisam saber LER Roteiros e deles selecionar
as dicas que lhes dizem como interpretar a narrativa,
como dividir a energia de sua interpretação para alcançar
os momentos da história.  O autor Roteirista precisa então,
saber quais são as descrições que deve acrescentar
para que o ator e atriz possam ' dar vida ' as cenas que escreve.

Surge então a necessidade de se DESCREVER gestos e movimentos que sejam expressivos, assim como dar um SENSO DE RITMO ao jogo dos atores para ser filmado.

Estudei com um grupo de teatro italiano que fazia performances nos vagões do metro em Roma na década dos anos 90.  O grupo atuava peças de Shakespeare durante o percurso do metro, partindo desde a estação Cinecittá ( estúdio de Fellini, claro ) até a estação Baldo degli Ubaldi.
O mais interessante foi que eles me apresentaram
o modelo de para aumentar a presença da performance do ator  que também é muito eficaz para utilizar em frente a câmera:
ENERGIA
DIREÇÃO
VELOCIDADE
IMPACTO

Dario Fo usa a expressão
' câmera na cabeça do espectador '
para explicar como é recebida - pelo público
- a leitura e compreensão da atuação dos atores na tela.

Peter Brook diz que '
'... os Atores e Atrizes precisam conhecer
a imagem que estão criando para a câmera...
''

então

""" a coisa mais importante do cinema...
é a imagem que o ator cria !""
RomanBRuni

mas como interpretar o que está na página do roteiro ?
o ator e a atriz podem encontrar indicações mínimas
do cenário, do figurino, de um gesto e a partir delas construir a caracterização do personagem, intuindo qual emoção o personagem está vivendo e qual é o conjunto das motivações que o fazem agir como descrito na história.
Mas o mais importante e fundamental, para atores e atrizes, 
é compreender que podem aumentar ou diminuir, multiplicar ou dividir a energia da cena com sua interpretação. Ao subir o tom de voz, ao diminuir o movimento do braço, ao imaginar qual lente a camera está usando... se ode dramatizar
o drama e fazer engraçada a comédia.

É bom para o ator e para a atriz compreender o processo
da escrita que o livro manual "Roteiro de Roteiro 3.8" apresenta... incluindo método de fichas para construção da personagem.